União Jovem de Itacibá desfila as estações do ano na música popular brasileira

A verde e branco enfrentou problemas no carro abre-alas, que precisou ser levado pela força dos braços dos empurradores

0
26
União Jovem de Itacibá

Por Brunella França
Um desfile de superação. A União Jovem de Itacibá, escola de Cariacica, foi a terceira agremiação a entrar no Sambão do Povo, já na madrugada desta sexta-feira (08). A verde e branco enfrentou problemas no carro abre-alas, que precisou ser levado pela força dos braços dos empurradores, e de evolução. Mas, com a força de sua bateria e na garra de sua comunidade, passou orgulhosa pela passarela do samba.

Estou virada há três dias, trabalhando no nosso barracão. Esse desfile foi a força da nossa comunidade, que abraçou a escola, que nos levou do início ao fim da avenida. Estou muito emocionada“, disse a vice-presidente da agremiação, Edilandin Santana.

Defendendo o enredo “Nossos poetas decantam aspectos, facetas e elementos das quatro estações do ano: uma ode sublime às forças da natureza, à cultura e à vida“, um passeio pela música popular brasileira retratando as quatro estações do ano, o destaque ficou para a bateria Força Jovem, com bossas (paradinhas) ousadas e até mesmo um “paradão“, quando todos os instrumentos param de tocar e a comunidade sustenta o no canto samba da escola.

O enredo apresentado foi uma criação de Fábio Meireles e Bira Meireles que, junto a Edivaldo Ferreira, formaram a comissão de carnaval da escola. Na avenida, muita cor nas fantasias, pois como diz o próprio samba da agremiação: “Minha escola te convida, faz a festa na avenida, nesse lindo visual brincar no colorido do seu carnaval“.

Primavera e verão
Florindo a passarela do samba, a União Jovem de Itacibá iniciou seu desfile trazendo a Primavera no primeiro setor. A comissão de frente, trabalho de Fernando Queiróz, inspirada na canção “Céu de Santo Amaro“, misturando Johann Sebastian Bach e Flávio Venturini, trouxe o beija-flor, símbolo da escola, representando o pulsar da vida durante a primavera, quando pássaros e insetos fazem a polinização das flores.

O carro abre-alas, Gaia: a mãe terra e berço de toda a vida, teve com inspiração a música “Terra“, de Caetano Veloso. O primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira da escola, Gedilson da Silva e Nívea Pires, se apresentaram aos julgadores representando as forças da natureza. A canção que inspirou as fantasias e a coreografia deles tem esse mesmo nome, “As forças da natureza“, composição de João Nogueira e Paulo César Pinheiro, imortalizada na voz de Clara Nunes.

Para a tradicionalíssima ala das baianas, a inspiração veio de Arlindo Cruz, Sereno e Sombrinha, em “Banho de Fé“. Entre as componentes, Lorrayne Martins, de apenas 16 anos, e Marilda Souza, de 65 anos. Apaixonada pela agremiação e pelo carnaval, Jô de Jesus, 44 anos, girou sua saia colorida e dançou do início ao fim. “É surreal estar aqui. Estou feliz demais, não existe nada igual. O carnaval está na alma da gente.”

O segundo setor da escola apresentou a estação mais quente do ano. E a composição que abriu o setor foi “Canção de Verão“, de Beto Guedes. Para a ala das crianças da comunidade, “Milagre dos Peixes”, de Fernando Brandt e Milton Nascimento.

Outono e inverno
Quem fez o outono chegar ao terceiro setor da União Jovem de Itacibá foi o clássico “Águas de Março“, de Tom Jobim. A rainha de bateria, Shirley de Oliveira, entrou na avenida deslumbrante, vestida de “Frevo Mulher“, obra de Zé Ramalho. A bela esbanjou carisma em frente à sua bateria, representando “A força que nunca seca“, canção de Chico César de Vanessa da Matta.

Entre os ritmistas comandados pelo mestre Matheus Neri, Rogério Silva de 14 anos, esbanjou vitalidade, enquanto a experiência de seus 72 anos de vida acompanhou Romário Rodrigues. Na ala dos passistas, muito samba no pé com “Yes, Nós temos Bananas“, composição de João de Barro, o Braguinha.

No quarto setor, o Inverno chegou “djavaneando” ao Sambão do Povo, inspirado na música “Nem um dia“, de Djavan, que ajudou na concepção do segundo carro alegórico da escola. Fechando o desfile a Velha Guarda da agremiação veio inspirada em “Mais Uma Vez“, de Flávio Venturini; Renato Russo.

PUBLICIDADE