Tradição Serrana encerra primeira noite de desfiles no Sambão. Hoje tem mais!

A agremiação passou com dificuldade pela passarela do samba, com poucas alas

0
19
Tradição Serrana

Por Brunella França
Sonho ou loucura? O gênio artista é criador ou criatura?” Assim questionou a Tradição Serrana no Sambão do Povo, encerrando a primeira noite de desfiles do Carnaval de Vitória. A agremiação de Feu Rosa, na Serra, apresentou ao público o enredo “A mágica do saber, a Tradição conta para você”.

A agremiação passou com dificuldade pela passarela do samba, com poucas alas. A comissão de frente veio resgatando clássicos da literatura infantil facilmente identificados pelo público, como o “Sítio do Pica-Pau Amarelo“, com direito ao famoso pó de pirlimpimpim da boneca falante mais famosa da literatura brasileira.

Eu nasci nessa escola. Sou filha de um dos fundadores. A emoção é muito grande. A nossa missão é trazer um pouco de alegria para as pessoas“, afirmou a diretora de Harmonia da escola, Marcela Cunha.

À frente da bateria, o mestre Loriano Felix conduziu os ritmistas com muita simpatia junto à rainha Leidiele de Oliveira. No microfone da Tradição, Michel Felipe comandou o show. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Roberta e Mosquito, chamou a atenção pela fantasia luxuosa, com muita pedraria.

A lendária Atlântida, os tradicionais blocos de carnaval, o milho, o sol, a criação do mundo, as bonecas abayomi e a mitologia indígena. Esses são os temas das sete escolas que prometem fazer o público vibrar, colorindo o Sambão do Povo na segunda noite de desfiles das escolas de samba, com transmissão ao vivo no Youtube e no Facebook da Prefeitura de Vitória.

Entre as sete concorrentes a retornar ao Grupo Especial, tem agremiação que já foi cinco vezes campeã do carnaval. É a São Torquato, que soma conquistas entre 1981 e 1992. Para voltar a desfilar no sábado, a vermelho e branco de Vila Velha aposta no enredo “Misteriosa Atlântida: Lenda ou Realidade?” “Nós queremos passar uma mensagem de paz, que é o que precisamos“, ressaltou Edmilson Galdino, carnavalesco da São Torquato.

Em seguida, a Chega Mais traz para o público toda a tradição dos blocos carnavalescos com o enredo “Eu quero botar meu bloco na rua“. A azul e branco do bairro do Quadro quer contar a história do carnaval popular, dos blocos de rua. “Queremos mostrar o carnaval em essência como manifestação cultural do carnaval capixaba“, destacou o carnavalesco Anclébio Júnior.

Diretamente de Goiabeiras, a Chegou o Que Faltava entra no Sambão do Povo para falar sobre um dos alimentos mais versáteis da culinária: o milho é a estrela do enredo “Chegou a realeza dos campos dourados que alimentam a história. Sustendo da vida“. “A mensagem que a escola quer transmitir é a importância do milho na economia e na vida das pessoas“, disse Rafael Cavaliere, presidente da agremiação.

E mesmo sendo madrugada, a Mocidade da Praia promete fazer o sol brilhar na passarela do samba com o enredo “Solis, o alvorecer da humanidade“. A azul e branco da Praia do Canto aposta na força do astro rei para subir ao Grupo Especial.

Seguindo a programação da noite, a Rosas de Ouro, agremiação de Serra Dourada II, recontará, em ritmo de samba, o “Gênesis – momentos da criação“. E quem conduzirá esse desfile é uma mulher! A intérprete oficial da escola é Lê Jesus.

Logo depois, o sinal verde é para a azul, vermelho e branco da Consolação. A Pega no Samba desfila o enredo “Abayomi“, um enredo que ressalta a força da negritude. “A gente abre com detalhes da África, da diversidade do continente. Falaremos também sobre as mazelas da escravidão“, contou o carnavalesco Victor Faria.

Para não deixar ninguém dormir, a Império de Fátima, escola da Serra, aposta em um reforço de peso em seu carro de som: Quinho do Salgueiro será um dos intérpretes do samba da escola, que canta “Uma índia, um negro, diferentes crenças, costumes e rituais… Um conto Tupi Yorubá“.

Ordem dos desfiles
Dia 08 (hoje): Grupo A
São Torquato: “Misteriosa Atlântida: Lenda ou Realidade?”
Chega Mais: “Eu quero botar meu bloco na rua”
Chegou O Que Faltava: “Chegou a realeza dos campos dourados que alimentam a história. Sustendo da vida”
Mocidade da Praia: “Solis, o alvorecer da humanidade”
Rosas de Ouro: “Gênesis – momentos da criação”
Pega no Samba: “Abayomi”
Império de Fátima: “Uma índia, um negro, diferentes crenças, costumes e rituais… Um conto Tupi Yorubá”

Dia 09 (amanhã): Grupo Especial
Jucutuquara: “O povo inteiro vai saber, é Jucutuquara que vem lá”
Imperatriz do Forte: “Em busca do 10”
Novo Império: “Santo Antônio, Olhai por nós”
Boa Vista: “O pássaro de fogo traz a boa nova… É tempo de amar!”
MUG: “O Leão em caravana traz ao palco da folia a imagem e a semelhança com um quê de fantasia”
Piedade: “Da riqueza do café, sua força e majestade”
Andaraí: “Mulembá”

PUBLICIDADE