Protocolo da Dor Torácica salva vida de surfista

Hospital Evangélico usa protocolo e agiliza atendimento do paciente que chega na urgência e emergência. Um dos pacientes que recebeu o atendimento baseado nesse protocolo foi o surfista e tatuador Marcelo Venturini

0
11
Marcelo Venturini, 46 anos. Foto: Divulgação/HEVV

O Hospital Evangélico de Vila Velha (HEVV) utiliza o protocolo de Dor Torácica que tem como objetivo agilizar o atendimento do paciente que chega ao pronto-socorro com sintomas de infarto. Esse protocolo foi implantado no HEVV desde 2010. O paciente que dá entrada na urgência e emergência já faz um eletrocardiograma, é avaliado por um cardiologista e logo após é feita a abertura da artéria no setor de hemodinâmica. Todo esse processo de atendimento dura em média 58 minutos.

Um dos pacientes que recebeu o atendimento baseado nesse protocolo foi o surfista e tatuador Marcelo Venturini, de 46 anos. “Eu senti a minha pressão cair e chamei meus amigos. Eles disseram que eu reclamava de dor no peito e me levaram para o Evangélico. Lá, eu recebi o atendimento que salvou a minha vida”, contou Marcelo.

De acordo com o cardiologista Diogo Barreto, o coração do surfista chegou a ficar 30 minutos parado. “Marcelo deu entrada no pronto-socorro com mal súbito e foi, imediatamente, reanimado pela equipe de cardiologia, e em seguida encaminhado para o setor de hemodinâmica para fazer a abertura da artéria do coração”, relata o médico.

No setor da Hemodinâmica são realizados cerca de 350 procedimentos por mês, entre diagnósticos e tratamentos como cateterismo, arteriografia, embolização, angioplastia e correção de aneurisma. No primeiro semestre desse ano foram feitos mais de 1,6 mil procedimentos. O trabalho integrado das equipes de enfermeiros, médicos cardiologistas, clínicos, técnicos de enfermagem e cardiologistas intervencionistas do HEVV garante atendimento rápido, dinâmico e seguro ao paciente.

PUBLICIDADE