Pesquisadores mineiros estudam Parque Morro da Pescaria

O projeto de doutorado "Durabilidade em concretos de escória de aciaria” produziu blocos de concreto armado, usando escória de aciaria como agregados e como adição mineral

0
11
Foto: Divulgação

A sede do Parque Municipal Morro da Pescaria, em Guarapari, tem sido a base de estudo de um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Ouro Preto, em Minas Gerais. O projeto de doutorado “Durabilidade em concretos de escória de aciaria” produziu blocos de concreto armado, usando escória de aciaria como agregados e como adição mineral. Esses blocos estão instalados em três locais distintos de agressividade: spray, respingo e maré.

A ideia é determinar o desempenho dos concretos produzidos integralmente com escória de aciaria sob efeito dos sais presentes nos diferentes ambientes marítimos, verificando sua durabilidade. Os blocos instalados no parque serão monitorados por um período de três anos. Serão realizadas campanhas para inspeção e coleta de amostras trimestrais, em que serão realizados ensaios macro e microestruturais a partir de técnicas destrutivas e não destrutivas.

As campanhas têm por finalidade avaliar e descrever a influência da ação dos sais marítimos na durabilidade desses concretos. Simultaneamente, estão sendo desenvolvidos testes em laboratório com ensaios acelerados, visando verificar a correlação entre ensaios laboratoriais e as situações de exposição real.

Os pesquisadores instalaram os blocos na zona de maré, que é a área de maior impacto. Os blocos são submetidos a ciclos de molhagem-secagem, o que intensifica a degradação do concreto, ou seja, os blocos ficam completamente submersos. Foram instalados também blocos na zona de respingo, em que o impacto da maré é intermediário e existe um baixo contato com a água do mar, apenas gotículas e nunca estão submersos.

PUBLICIDADE