Novo Hospital Meridional irá gerar mais de mil empregos em Vitória

A nova expansão do hospital, com área total de 7.710,87m², é fruto de um investimento de R$127 milhões, contribuindo para o município com aproximadamente R$5 milhões de Imposto Sobre Serviço (ISS)

0
37
Entrega de Alvará de Obras do Meridional em Goiabeiras. Foto: Jansen Lube/PMV

Por Flávia Mancilha

O prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, foi recebido esta semana pela diretoria do Hospital Meridional Vitória, acompanhado do secretário de Governo e de Desenvolvimento da Cidade e Habitação, Marcelo de Oliveira. Quando concluídas as obras da nova expansão, somadas aos investimentos que já foram feitos, a unidade terá gerado mais de mil empregos diretos e indiretos, além de oferecer aos moradores da capital um complexo hospitalar de alta qualidade.

Os projetos de reforma e de uma nova edificação foram aprovados em menos de 26 horas, graças ao novo sistema de classificação de risco de licenciamento de obras da prefeitura. O hospital, que agrega à Maternidade Santa Úrsula, abriu recentemente na capital, com pronto-socorro 24 horas, Centro de Especialidades, setor de imagens, centro cirúrgico, modernização de leitos de UTI, além oferecer procedimentos neurocirúrgicos inéditos no Espírito Santo.

Quando concluídas as obras da nova expansão do Hospital Meridional, a unidade terá gerado mais de mil empregos diretos e indiretos. Foto: Jansen Lube/PMV

A nova expansão do hospital, com área total de 7.710,87m², é fruto de um investimento de R$127 milhões, contribuindo para o município com aproximadamente R$5 milhões de Imposto Sobre Serviço (ISS). Leilson Queiroz, head administrativo hospitalar da Rede Meridional, ressalta o que a unidade ganhará com as obras: “O hospital irá construir um novo Centro Cirúrgico com sete salas, uma sala de hemodinâmica, 60 novos leitos de internação, 20 novos leitos de UTI, ampliação do pronto-socorro já existente, setor exclusivo para pacientes com sintomas respiratórios, entre outros”.

O prefeito Lorenzo Pazolini destaca a importância da desburocratização e da celeridade no processo de análise de obras: “Antes de implantarmos esse novo sistema, o processo era feito à mão, podendo levar mais de um ano para ser concluído. Uma burocracia imensa que fazia muitos investidores desistirem da nossa cidade. Agora, o processo pode sair em horas, como foi o caso do Hospital Meridional. A celeridade é importante, pois estamos falando de vidas, de empregos e de famílias”.

PUBLICIDADE