Jogo do milhão

0
40
Petróleo comemorando o gol da vitória. Foto: Divulgação

O Rio Branco foi valente e com um jogador a menos, pela expulsão de Esley, conseguiu eliminar o Sampaio Correia, do Maranhão, por 2 a 1, de virada, pela Copa do Brasil. Com o resultado, o clube capixaba, que já havia recebido R$ 560 mil de cota da CBF pela participação, embolsou mais R$ 675 mil, totalizando R$ 1.235.000,00. Ou seja, dinheiro que vai ajudar em muito a bancar as despesas do clube por bastante tempo. Caso derrote o Vitória da Bahia, em Salvador, mês que vem, pela terceira fase, o Brancão terá direito a uma nova cota, desta vez de R$ 1,7 milhão. O jogo está previsto para a primeira quinzena de abril.

Terceiro ano

Com a classificação do Rio Branco, o futebol capixaba comemora a passagem para a segunda fase da Copa do Brasil, pelo terceiro ano seguido, o que demonstra que o trabalho de reestruturação promovido pela Federação e por alguns clubes começa a dar resultados positivos. Para quem não se lembra, em 2019, o Serra se classificou ao eliminar o Clube do Remo (PA). Ano passado, foi a vez do Vitória, que passou pelo CSA de Alagoas. E agora, o Rio Branco. É preciso mencionar e homenagear também o Linhares, que em 1994 chegou à semifinal, na melhor campanha de um clube capixaba até hoje na Copa do Brasil.

Capixabão continua

Ao contrário de São Paulo e outros estados, o futebol continua no Espírito Santo, apesar da pandemia não dar trégua. Inclusive, alguns jogos do Paulistão podem vir para o Kleber Andrade, segundo a Sesport. No fim de semana haverá a terceira rodada do Capixabão, com Branco VN x Desportiva, Rio Branco x Serra, Real Noroeste x São Mateus, Estrela x Pinheiros e Vitória x Vilavelhense. E na quarta-feira, às 15h30, é a vez do Rio Branco de Venda Nova estrear na Copa do Brasil, recebendo o time do ABC, de Natal.

Campeão na PMV

Foto: Divulgação

O campeão olímpico de vôlei de praia, Bruno Schimidt, esteve visitando a Prefeitura de Vitória, quando se reuniu com o secretário de esportes Sandro Parrini e o prefeito Lorenzo Pazolini (foto). Na ocasião, segundo o secretário, eles dialogaram sobre esportes de alto rendimento e esportes de base. Como já revelou em primeira mão, em entrevista ao NOSSO JORNAL, um dos objetivos da atual gestão da capital é trazer à cidade os grandes eventos esportivos, tão logo a pandemia acabe.

Eloi na Barra

Foto: Divulgação

O ex-craque Elói (foto), que jogou em vários clubes (Santos; Botafogo; Vasco, Cruzeiro, Porto, de Portugal; e Genoa, da Itália, agora empresta o seu talento, fora das quatro linhas, ao Santos, de Barra de São Francisco. O clube deseja retornar ao futebol profissional, disputando a Série B deste ano. Na cidade, o treinador Elói tem sido admirado por sua simpatia e participação em vários eventos esportivos, como futevôlei. Na peneira do Santos, para seleção de novos jogadores, participaram mais de 100 atletas para observação. Na década de 80, quem defendeu a camisa do time foi o ex-craque Adílio, do Flamengo, como jogador.

Geovani prodígio

A Coluna apresenta uma foto raríssima do craque Geovani, aos 16 anos, no time sub-20 da Desportiva, em 1980. Naquela época, apesar da pouca idade, o menino-prodígio de Jardim América atuava ao mesmo tempo nas categorias juvenil, júnior e profissional, e Seleção Brasileira, tamanha a sua categoria. No mesmo ano, Geovani foi campeão capixaba no time principal, antes de ser vendido para o Vasco da Gama, onde se consagrou. Na foto, em pé: Anselmo, Egno, Jacimar, Amaral, Raul e Bartô; agachados: Edinho, William, Geovani, Vavá e Juninho.

Foto: Divulgação
PUBLICIDADE