Indústria capixaba entre as cinco que mais crescem no país

Produção industrial do Estado avançou 9,6% de janeiro a outubro deste ano, segundo dados do IBGE

0
40
Foto Ilustrativa: Divulgação

A produção industrial do Espírito Santo, no acumulado de janeiro a outubro deste ano, cresceu 9,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Com isso, até o momento, a indústria do Estado é a quinta que apresentou o melhor desempenho do país e está bem acima da média nacional (5,7%). Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM-RG), divulgados nesta quinta-feira (9) pelo IBGE.

“No acumulado do ano, a indústria capixaba cresceu puxada pelo bom desempenho da indústria de transformação (24,4%). Todas as atividades desse setor pesquisadas registraram uma expansão de pelo menos dois dígitos nessa base de comparação”, comenta a gerente de Estudos Econômicos do Ideies/Findes, Silvia Varejão.

No caso da indústria de celulose, papel e produtos de papel (44,7%), a atividade cresce de forma consistente no Estado desde antes do início da pandemia de Covid-19. A metalurgia (27,2%) foi puxada pela maior produção de bobinas de aço, placas de aço e ferro-gusa. E, ao longo de 2021, a produção dessa commodity tem sido beneficiada tanto pelo aquecimento da demanda externa, quanto da demanda doméstica.

Já a fabricação de produtos de minerais não-metálicos (22,4%) foi puxada pela expansão da produção de granito, cimento e ladrilhos e azulejos de cerâmicas, sendo que o desempenho dessa atividade foi beneficiado pela recuperação do setor da construção. Na comparação entre outubro e setembro deste ano houve retração de 1%. Apesar do recuo, os resultados da PIM continuam a indicar para um resultado positivo do setor industrial capixaba no encerramento do ano.

A redução na passagem do mês de setembro para outubro se explica pela queda na indústria de transformação (-3,9%), que foi impactada pela menor produção de produtos alimentícios (-11,1%) e metalurgia (-4,6%). Por outro lado, de acordo com a ANP, a produção de petróleo e gás natural capixaba aumentou 1,7% na passagem de setembro para outubro deste ano, o que contribuiu para a expansão da indústria extrativa no Estado (12,1%).

PUBLICIDADE