Iema destaca regras de uso do Arquipélago das Três Ilhas

Como o local é uma área de proteção e tem maior fluxo de visitação no verão, o Iema alerta para as regras de uso

0
88
Foto: Divulgação

O Arquipélago das Três Ilhas, que faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) de Setiba, em Guarapari, encanta quem o visita. Como o local é uma área de proteção e tem maior fluxo de visitação no verão, o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) alerta para as regras de uso do arquipélago, que ajudam a garantir que a biodiversidade presente no local continue existindo.

Os visitantes são bem-vindos para desembarcar e conhecer as ilhas, tomar banho de mar, relaxar e curtir a tranquilidade da natureza, ou ainda praticar snorkel ou mergulho contemplativo. Entretanto, devem respeitar as regras básicas: não pescar, não acampar, não usar fogo em fogueiras ou churrasqueiras e não deixar lixo no local.

A área de proibição de pesca abrange o polígono que engloba as ilhas de Gurarema, Leste-Oeste, Guanchumbas, Cambaião e Quitongo, iniciando a uma distância de 100 metros de cada uma delas. Nessa faixa, todos os tipos de pesca são proibidos, desde a pesca subaquática, pesca com linha de mão, vara ou molinete, realizadas a partir do costão rochoso ou de embarcações, incluindo a modalidade de pesque e solte.

A intenção de restringir a pesca nessa área é garantir um espaço que sirva de criadouro natural, onde as espécies possam crescer, se reproduzir e repovoar o arquipélago e as demais ilhas. “Isso garante a conservação das espécies e a sustentabilidade da pesca artesanal local e das atividades de turismo ecológico sustentável, cujo principal ativo é a diversidade biológica e a beleza cênica do local”, afirma a servidora do Iema, Sandra Ribeiro.

PUBLICIDADE