Erick Musso cobra ação imediata do governador no caso da morte do menino Kevinn

O adolescente foi de ambulância de Cachoeiro de Itapemirim para o Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino (Himaba), que é estadual, em Vila Velha, onde a família não conseguiu atendimento que já estava garantido e assistiu, sem poder fazer nada, a morte do jovem dentro da ambulância após quatro horas agonizando no veículo

0
28
O adolescente aguardou quatro horas pelo atendimento e acabou falecendo no local

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Erick Musso, cobrou ação imediata do governador Renato Casagrande na apuração da morte do menino Kevinn Belo Tomé da Silva, de 16 anos. O adolescente foi de ambulância de Cachoeiro de Itapemirim para o Hospital Infantil e Maternidade Alzir Bernardino (Himaba), que é estadual, em Vila Velha, onde a família não conseguiu atendimento que já estava garantido e assistiu, sem poder fazer nada, a morte do jovem dentro da ambulância após quatro horas agonizando no veículo.

Em suas redes sociais, Erick Musso cobrou ações imediatas do governador: “A falta de gestão do atual governo nos leva a conviver com situações como essa. Inaceitável. Espero que o governador tome medidas duras e imediatas para apurar a morte do menino Kevinn. Minha solidariedade à família”. O assunto será tema de intensos debates amanhã 2, na sessão ordinária da Assembleia.

A família do jovem afirma ter sido comunicada pelos médicos do Pronto-Atendimento de Cachoeiro que haveria uma vaga de UTI no hospital da Grande Vitória. No entanto, ao chegar ao Himaba, Kevinn não conseguiu dar entrada. Depois de quatro horas, não resistiu à terceira parada cardíaca e morreu dentro da ambulância. A família diz que depois que o menino já estava morto a mãe foi chamada para fazer o prontuário. A família registrou um boletim de ocorrência na delegacia e quer que o caso seja investigado.

O OUTRO LADO

Hospital afasta médicas
Duas médicas foram afastadas das funções após o adolescente de 16 anos morrer depois de quatro horas de espera por atendimento no Himaba. De acordo com informação da secretaria Estadual de Saúde, a própria direção da unidade hospitalar registrou Boletim de Ocorrência contra o que considera “flagrante negligência médica por parte dos profissionais plantonistas“.

A instituição afirma que a unidade estava preparada para receber o paciente, com disponibilidade de leito, profissionais e equipamentos necessários ao atendimento. Kevinn Belo Tomé da Silva chegou ao hospital no final da noite de sexta-feira 29 e aguardou por uma vaga na UTI até 04h30 de sábado 30. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, investiga o caso. O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) também abriu sindicância para apurar as responsabilidades.

PUBLICIDADE