Unidades prisionais recebem doação de livros para o projeto remição pela leitura

Grupo de internos e internas do sistema prisional posa para fotos segurando livros. Entre eles está a juíza coordenadora do projeto "Remição pela Leitura". A iniciativa atenderá, inicialmente, 75 internos e internas, com rodízio de livros entre os participantes

0
15
Foto: Divulgação

O Projeto “Remição pela leitura”, de iniciativa da juíza Patrícia Faroni, da Vara de Execuções Penais de Vila Velha, ganhou uma nova parceira, a Azul Limão Alado, entidade sem fins lucrativos, que promoveu a entrega de livros, computadores e fones para a inauguração de turmas de remição pela leitura em unidades prisionais do Espírito Santo.

Foram destinados 75 livros, sendo 30 para a Casa de Custódia de Vila Velha (CASCUVV), 30 para a Penitenciária Semiaberta de Vila Velha (PSVV) e 15 para o Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC). Também foram entregues 75 fones e oito computadores, sendo quatro para a CASCUVV e quatro para a CPFC. A PSVV já havia recebido seis computadores anteriormente.

O projeto atenderá, inicialmente, 75 internos e internas, com rodízio de livros entre os participantes. Os cinco primeiros livros a serem lidos são: ‘A mão esquerda da escuridão’, de Ursula Le Guin; ‘Literatura, pão e poesia’, de Sérgio Vaz; ‘O sedutor do Sertão’, de Ariano Suassuna; ‘O perigo de uma história única’, de Chimamanda Adichie; e ‘Por um fio’, de Drauzio Varella.

Segundo a juíza Patrícia Faroni, de acordo com a Resolução 391/2021, do CNJ, a remição de pena pela leitura tem caráter voluntário e podem ser beneficiados todos aqueles que cumprem pena, independente do regime de privação de liberdade: “Terão direito à remição de pena pela leitura os reeducandos que comprovarem a leitura de qualquer obra literária, independente de participação ou lista prévia de títulos autorizados”.

PUBLICIDADE