Projeto “O Manguezal em Nossa Vida” encanta estudantes de Vitória

Os trabalhos do projeto foram coordenados pelo professor Dário Damasceno, pela professora Valkize Castelan e pela pedagoga Ana Karolini Matos, com os estudantes do 2º ano da Escola Municipal Maria José Costa Moraes

0
9
Estudantes da EMEF Maria José Costa Moraes fazem panelinhas de barro. Foto: Divulgação

Por Brunella França

O manguezal de Vitória tem uma beleza singular. Um ecossistema cheio de vida, que é o começo da vida marinha para muitos animais, é também de extrema importância para a manutenção de nossa cultura alimentar, de famosos pratos como a Torta e a Moqueca Capixaba, além de ser destino turístico da capital e sustento para muitas famílias. Por isso, o projeto “O Manguezal em Nossa Vida”, da Escola Municipal Maria José Costa Moraes, no bairro São José, tem como objetivo desenvolver e resgatar o sentimento de pertencimento e valorização dos ecossistemas do bairro e do entorno da escola junto aos estudantes.

Os trabalhos do projeto foram coordenados pelo professor Dário Damasceno, pela professora Valkize Castelan e pela pedagoga Ana Karolini Matos, com os estudantes do 2º ano. Tudo começou por meio de uma parceria com a secretaria de Meio Ambiente, com a formação “Educação Ambiental – Temas Socioambientais do Cotidiano de Vitória”, em que os professores participaram e buscaram diálogo para dar início ao projeto. O próximo passo foi participar junto aos estudantes de uma sessão online para conhecer o rico acervo da Escola de Ciência, Biologia e História.

Dando continuidade ao projeto, hora de botar a mão na massa! Os pequenos estudantes produziram panelinhas de barro e caranguejos de massinha com as próprias mãos. Além disso, foram presenteados com dois livros e dois jogos temáticos, como prêmio pela dedicação e empenho na realização das atividades propostas.

“O manguezal é um lugar lindo, cheio de vida, onde começa a vida marinha para muitos animais e de extrema importância para a manutenção de nossa cultura alimentar. Ficamos felizes em ver que os estudantes se mostraram muito entusiasmados e engajados em todo o projeto, tendo em vista que as atividades propostas partiram da realidade de vida deles”, destacou a pedagoga Ana Karolini Matos.

PUBLICIDADE