Projeto fundado por padre capixaba ganha prêmio Zilda Arns de Direitos Humanos

0
44
A entidade atende idosos moradores de rua e foi criada pelo padre José Ayrola Barcellos

A Sociedade Cultural e Beneficente Monsenhor Alonso, que atua há 10 anos em Vitória, foi uma das contempladas pelo prêmio Zilda Arns 2021. Fundada e dirigida pelo padre José Ayrola Barcellos, a entidade não recebe apoio financeiro de órgãos públicos e funciona com doações de colaboradores, sendo uma instituição de acolhimento de idosos em vulnerabilidade social do Espírito Santo, premiada em virtude da atuação na defesa dos direitos da pessoa idosa.

O projeto capixaba foi premiado junto de outros projetos de trabalho social, como o do padre Júlio Lancellotti (SP) e as Obras Sociais Irmã Dulce (BA). “Estamos gratos pelo reconhecimento. Trabalhamos incansavelmente na defesa do direito da população idosa que se encontra em condições de fragilidade socioeconômica”, afirmou o padre, que possui 56 anos de sacerdócio e é recordista na realização de batizados e casamentos na Grande Vitória.

Os idosos acolhidos pela instituição participam de atividades culturais e de lazer e têm assistência à saúde garantida pelo SUS e pela Prefeitura de Vitória. A natureza do acolhimento é de longa permanência e os idosos são encaminhados a partir de abrigos, casas-lares, do Ministério Público ou do Centro de Referência de Assistência Social (Creas). Durante a pandemia, o centro de acolhimento precisou recorrer às entidades governamentais para captar recursos e continuar com as atividades.

O prêmio Zilda Arns de Direitos Humanos foi criado em 2017 pela Câmara dos Deputados, para prestar reconhecimento às pessoas e instituições que trabalham diariamente na defesa dos direitos humanos das pessoas idosas. A Dra. Zilda Arns Neumann foi uma das fundadoras da Pastoral da Criança. A indicação ao prêmio foi feita pela deputada federal Norma Ayub e a solenidade de entrega será na quarta-feira 29.

PUBLICIDADE