Programa Vitória da Castração Animal: prefeito autoriza início das cirurgias

Já estão aptos para agendar as cirurgias diretamente com as clínicas credenciadas no programa, oito protetores de animais

0
54
O prefeito Lorenzo Pazolinicadela Princesa, a presidente da Sociedade de Protetores de Animais do Espírito Santo (Sopaes), Regina Mazzocco

Começou hoje 13 a realização das cirurgias para esterilização de cães e gatos do Programa Vitória da Castração Animal. O anúncio foi feito pelo prefeito Lorenzo Pazolini, na tarde de ontem 11, para protetores independentes, lideranças comunitárias e imprensa. “Lançamos o programa no ano passado, cumprimos várias etapas, como o cadastramento das clínicas veterinárias e o cadastro de tutores, com muito diálogo com a sociedade. Agora chegou o momento da efetivação desta política pública, com a realização das cirurgias, atendendo a quem realmente cuida e ama os animais“, disse o prefeito.

Já estão aptos para agendar as cirurgias diretamente com as clínicas credenciadas no programa, oito protetores de animais (pessoas que resgatam, cuidam, alimentam e acolhem em suas casas, independente de vínculos governamentais ou empresariais) e aproximadamente 150 tutores em situação de vulnerabilidade social, residentes em áreas de interesse social.

Lançado em agosto do ano passado, o Vitória da Castração Animal foi instituído pelo Decreto Municipal nº 19.816/2021 e substitui o antigo modelo de mutirões por uma política pública permanente de controle populacional, com foco no bem-estar animal, visando reduzir o número de animais errantes e em situação de abandono na capital. O projeto prevê investimentos de mais de R$ 1 milhão para a realização de três mil procedimentos por ano de esterilização cirúrgica de cães e gatos, bem como registro dos animais que serão identificados por meio de microchip associado ao CPF de seus tutores.

Ao lado de sua cadela Princesa, a presidente da Sociedade de Protetores de Animais do Espírito Santo (Sopaes), Regina Mazzocco, calculou a grandeza do programa para Vitória: “Considerando uma média de duas crias por ano com vários filhotes em cada, o programa irá evitar cerca de 30 mil animais de rua por ano, abandonados e sofrendo. Um programa como este é a razão da nossa luta como protetores, da luta da Sopaes“. Além disso, explicou, os animais castrados são mais facilmente adotados, o que também fortalece a causa dos protetores.

Além da esterilização cirúrgica (castração), o Programa contempla a realização de exames clínicos e laboratoriais, fornecimento de materiais e medicamentos em todas as etapas do processo operatório e pós-operatório, minimizando os riscos de óbito.

Cirurgias realizadas com sucesso

Na tarde de terça-feira 11 foram realizadas as primeiras cirurgias de esterilização do Programa. Uma das contempladas foi Zilda da Silva, que há nove anos abriga animais abandonados em sua casa, no bairro Santa Teresa. Atualmente, ela protege 56 gatos e 13 cães.  Na terça-feira, ela levou as gatas Nicole e Luna, de um ano de idade, para a castração. “O melhor do programa é que ele atende a quem realmente precisa, a quem luta pelos animais. Além disso, é muito fácil de fazer o cadastro; só precisa passar pelas palestras educativas, que são ótimas, passar pela vistoria e, pronto, agendar a castração“, disse.

Também foi contemplada a ONG Gatinhos da Pedra da Cebola, que pratica o CED (captura, esterilização e devolução), além de acolher em lares temporários os que precisam de tratamento de saúde, gestantes, enfim, de uma atenção maior. A protetora Ilka Westermeyer levou a Baby e a Michelangela, ambas com um ano de idade, para os procedimentos. “A Prefeitura está demonstrando seu compromisso não só com os animais, mas como toda a sociedade. O poder público está dando um importante passo neste sentido“, disse.

Programa permanente

Como política pública de fluxo contínuo, o cadastro de pessoas interessadas nas castrações – apenas residentes em Vitória – continua aberto e deve ser feito pelo Portal Bem-Estar Animal (link https://bemestaranimal.vitoria.es.gov.br/). O programa estabelece públicos prioritários: os protetores independentes (que tenham, no mínimo, sete animais sob sua tutela) e munícipes em situação de vulnerabilidade residentes em áreas de interesse social (que possuam, no máximo, seis animais sob sua tutela). No momento do cadastro, são pedidos comprovantes específicos para esses perfis. Além disso, os cadastros são validados por técnicos da Gerência de Bem-Estar Animal, que realizam as vistorias nas residências dos cadastrados.

Etapas do programa

1 – Cadastro individual de tutores e de animais: continua aberto e é feito pelo próprio munícipe através do Portal Bem-Estar Animal (link para o portal);

2 – Triagem dos cadastrados, com validação pela equipe técnica;

3 – Seleção conforme critérios de prioridade;

4 – Participação em palestra de educação sanitária, bem-estar animal e guarda responsável: após ter o cadastro aprovado, o tutor realiza o agendamento para participar da palestra com orientação do médico-veterinária diretamente no Portal. A participação é obrigatória;

5 – Assinatura do Termo de Responsabilidade pelo tutor;

6 – Entrega de Guia de Autorização para agendamento junto às clínicas credenciadas: os tutores aprovados emitem a Guia para a realização dos procedimentos no próprio Portal. Após, os tutores agendam os procedimentos diretamente com uma das clínicas credenciadas.

7 – Realização dos procedimentos de castração, avaliação clínica, exames laboratoriais, microchipagem, registro dos animais e entrega da medicação;

8 – Acompanhamento pós-cirúrgico 24 horas.

PUBLICIDADE