Pazolini confirma desfile das escolas de samba e cancela carnaval de rua

O carnaval de rua, com blocos, foi cancelado

0
50
Foto: André Sobral O prefeito Lorenzo Pazolini pontuou que diante do quadro de imunização da população é possível dar um passo adiante e confirmar com segurança o evento

Por Pedro Vargas

Após Vitória ter sido classificada, na tarde da última quarta-feira 05, como a primeira cidade na Região Metropolitana a alcançar o risco muito baixo para a transmissão da covid-19, tendo imunizado toda a população adulta com mais de 18 anos com as duas doses ou dose única da vacina, além de já ter vacinado 90,23% dos adolescentes entre 12 e 17 anos com a primeira dose, o prefeito Lorenzo Pazolini confirmou a realização do desfile das escolas de samba no Sambão do Povo, com controle sanitário.

Vitória hoje é uma referência nacional em vacinação contra o coronavírus. Graças a um trabalho assertivo da saúde e a grande adesão da população atingimos níveis altíssimos de imunização. Vitória hoje tem 100% dos adultos com as duas doses e mais de 90% nos grupos de idosos e adolescentes. São 14 dias sem nenhum óbito por covid no município. Diante desse quadro pudemos dar um passo adiante e confirmar com segurança esse evento”, afirmou Pazolini.

São índices bastante contundentes que nos dão embasamento para afirmar que neste momento, diante deste cenário epidemiológico é possível sim, realizarmos esse evento, desde que todos os protocolos sejam rigorosamente seguidos”, declarou a secretária municipal de Saúde, Thais Cohen.

Os desfiles, que já têm data marcada e ocorrem entre os próximos dias 17 a 19 de fevereiro, contarão com produção especial e terão como prioridade a adoção dos protocolos de segurança e proteção contra a covid-19, que todos os foliões deverão cumprir à risca. Entre as medidas que serão seguidas está a cobrança do passaporte de vacinação de todos os participantes, que deve indicar a completa imunização, ou seja, aplicação das duas primeiras doses do imunizante ou dose única, além da apresentação do teste RT-PCR negativo, feito nas últimas 72 horas antes do evento.

De acordo com os empresários responsáveis pela nova produção do carnaval, Lilian Moussallem e Pablo Pacheco, o desfile das escolas de samba é planejado seguindo as últimas informações anunciadas pelo Governo do Estado, que prevê a realização de eventos sem restrição de público, exclusivamente para pessoas com o ciclo de imunização completo, nos municípios que estiverem na classificação de risco muito baixo.

Estamos confiantes diante deste cenário. Vitória sempre esteve no ranking das capitais mais ativas no processo de imunização e hoje esse trabalho tão bem realizado pela saúde se alia e permite a valorização da cultura e do trabalho de tantas pessoas que compõe esse desfile. As escolas hoje podem respirar mais aliviadas e dar prosseguimento aos preparativos para fazerem bonito na avenida”, disse o secretário municipal de Cultura, Luciano Gagno.

Central do Samba

Os desfiles contarão com uma central especial para controle dos protocolos de segurança. Em um local de fácil acesso e com localização estratégica na cidade, o espaço será o ponto no qual os espectadores do desfile terão que apresentar obrigatoriamente o certificado de vacinação, constando com as duas doses do imunizante e o ingresso, para assim receber uma pulseira especial que dará acesso ao evento.

Acesso aos desfiles

O controle de acesso dos espectadores nas noites de desfiles será feito nas portarias do evento, que levam aos setores de arquibancadas, mesas e camarotes. Para aqueles que comprarem ingressos na bilheteria do evento, se houverem ingressos disponíveis, será necessária a apresentação do comprovante de vacinação e do resultado de teste negativo para covid-19, no ato da compra. No caso dos desfilantes, o controle será no acesso a área de concentração das escolas, somente sendo permitida a entrada das pessoas que estiverem trajando as fantasias e apresentarem a pulseira de credenciamento.

Trabalhadores

Todos os trabalhadores atuantes no evento terão que apresentar o comprovante de vacinação e serão credenciados com pulseira de acesso.

Blocos de rua

Em resposta à imprensa, o prefeito afirmou que o cenário epidemiológico infelizmente não permite a realização de desfile de blocos nas ruas da capital, eventos esses em que não é possível realizar o controle de participantes nem tampouco garantir a comprovação da vacinação das pessoas e nem o teste PCR. Há um estudo em andamento para analisar a possibilidade da realização de eventos em locais delimitados com os blocos onde o fluxo de foliões possa ser controlado.

PUBLICIDADE