Parceria com o Ifes para introduzir robótica educacional nas escolas de Vitória

O primeiro passo do projeto é capacitar a equipe da Escola de Inovação e os monitores participantes do projeto

0
28
O projeto faz parte das ações da estação de robótica da Escola de Inovação e contempla quatro escolas municipais de Ensino Fundamental

Por Brunella França

Introduzir a robótica educacional no cotidiano escolar e fomentar a iniciação científica e a cultura maker. Esse é o principal objetivo do projeto “Robótica Educacional, Fabricação Digital e Metodologias Ativas: (Re)Inventando a Educação“, fruto de uma parceria entre a Escola de Inovação, um dos Centros de Ciência, Educação e Cultura (CCEC) de Vitória, com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Ifes).

O primeiro passo do projeto é capacitar a equipe da Escola de Inovação e os monitores participantes do projeto. Para isso, está em andamento uma formação que ocorre até o dia 25, na sede do Ifes, em Jucutuquara. Com carga horária total de 100 horas, a programação é extensa e conta com vários encontros presenciais, em que os participantes podem utilizar materiais como kits Lego e também a plataforma Arduino. Em um dos encontros, por exemplo, uma “corrida de robôs” foi realizada.

A tecnologia entrou de vez nas escolas a partir da pandemia. E nós precisamos potencializar isso, em todos os territórios. Celebramos muito essa parceria com o Ifes porque a robótica educacional é uma possibilidade de estimular aspectos diferenciados e trazer ganhos para os processos de aprendizagem dos nossos estudantes. É diferente aprender Matemática e Física, por exemplo, construindo um robô, descobrindo como fazer, quais conceitos se aplicam ali, o que é necessário para que aquele robô ande, por exemplo“, destacou a secretária de Educação de Vitória, Juliana Rohsner.

O projeto faz parte das ações da estação de robótica da Escola de Inovação e contempla quatro escolas municipais de Ensino Fundamental: Emef Éber Louzada Zippinotti, em Jardim da Penha; Emef Edna de Mattos Siqueira Gaudio, em Jesus de Nazareth; Emef Maria José Costa Moraes, em São José, e Emef Alvimar Silva, em Santo Antônio.

A previsão é que 80 estudantes do 8º e 9º ano de cada unidade de ensino participem da estação de robótica nas escolas. Por meio da Robótica Educacional, os estudantes são capazes de explorar novas ideias e descobrir novos caminhos na aplicação de conteúdos e conhecimentos adquiridos em sala de aula e na resolução de problemas, desenvolvendo a habilidade de criar hipóteses, examinar soluções, estabelecer relações e obter conclusões.

São iniciativas como essa que despertam nos estudantes da Rede Municipal de Vitória interesse pela Ciência e em aprimorar suas habilidades. Um exemplo disso é Lara Starling, de 15 anos. Ela fez o ensino fundamental na Emef Alvimar Silva e, neste ano, entrou para o Ifes. Ela se inscreveu no projeto “Robótica Educacional, Fabricação Digital e Metodologias Ativas: (Re)Inventando a Educação“, foi selecionada como bolsista e agora atuará como monitora na Escola de Inovação. “Sempre gostei de frequentar os CCEC de Vitória, era sempre uma oportunidade de aprender coisas novas. Também fui incentivada pela minha família e pela escola a ter a iniciativa de procurar aprender mais e sair da zona de conforto. Cresci vendo meus pais trabalhando na marcenaria e na produção de brinquedos de madeira, então sempre estive no meio de várias máquinas“, contou.

A estudante Marcela Fernandes, de 15 anos, também tem trajetória parecida. Ela estudou na Emef em Tempo Integral Eunice Pereira da Silva, em Tabuazeiro, e também será monitora na Escola da Inovação, como bolsista. “Gosto muito de desenhar, desenho desde pequena, fui incentivada a buscar aprimorar com desenhos digitais. Agora estou tendo a chance de desenvolver minha habilidade. Me sinto honrada, porque a Escola de Inovação disponibiliza profissionais e instrumentos para que eu possa aprender e desenvolver robótica e impressão 3D“, comemorou a estudante.

O projeto de implantação da robótica educativa na rede municipal de Vitória foi contemplado no “Edital Nacional de Iniciação Tecnológica com Foco no Ensino de Programação 2021/2022 – Parceria Seme/CCEC E Ifes/CEFOR“. Patricia Piana, diretora dos CCEC de Vitória, explicou os benefícios que a aplicação da robótica educacional no cotidiano escolar traz para os estudantes. “O desenvolvimento de práticas baseado nos princípios da robótica para o contexto educacional historicamente tem favorecido a curiosidade, o comprometimento, a concentração, o entusiasmo e o contentamento na realização das atividades, através de metodologias específicas que possibilitam a relação entre conteúdos curriculares“, disse.

PUBLICIDADE