Moradores mostram alívio e gratidão com execução de serviços após anos de espera

0
7
Equipe da Central de Serviços soluciona vazamento em uma rede de drenagem do bairro Resistência

Por Rosa Blackman

Gratidão, felicidade e alívio. São os sentimentos que melhor expressam a vida da dona de casa Alicia Marques, moradora do bairro Resistência, após ver a Prefeitura de Vitória resolver um problema de vazamento em uma rede que afetava a estrutura de entrada de sua casa, após 18 anos de espera. Dona Alícia disse que estava prestes a desistir de reclamar, quando decidiu abordar o novo gerente da Central de Serviços – Região 7, Geferson Junior Wolkartt, durante uma ação de vistoria no bairro.

“Criei coragem e o abordei. Disse que sentia positividade no olhar dele e, durante a campanha, o prefeito Lorenzo Pazolini havia dito que haveria igualdade de tratamento em toda a cidade. Eu acreditei e valeu a pena. Agora, sinto que estão trabalhando para todos. Vejo que acendeu uma luz no fim do túnel para quem mora nesta região da cidade”, comentou Alícia.

Vizinha de dona Alícia, a autônoma Joenes Barbosa, que mora no bairro há sete anos, disse que está vendo serviços sendo realizados nos últimos cinco meses que nunca havia visto antes. “Hoje, vemos acontecer aqui serviços que só ouvíamos falar, já que não chegavam aqui. Começaram a enxergar nossas necessidades”. Joenes aproveitou a presença do gerente da Central de Serviços, que realizava vistoria no serviço de desobstrução da rede de drenagem no bairro, para apresentar possíveis melhorias para a rua onde mora.

Bela Vista

Em Bela Vista, o aposentado José Cardoso disse estar satisfeito com o cuidado que o bairro tem recebido. “A capina e a varrição acontecem uma vez por semana. O nosso problema são os entulhos, mas é preciso que os moradores colaborem para não virar bagunça. Os becos precisam de mais atenção porque são estreitos e o caminhão não passa”.

A doméstica Cleonice Ribeiro Marins, de 36 anos, também era só elogios para atuação dos coletores alpinistas que estavam atuando na rodovia Serafim Derenzi. “Dá um visual melhor. Tira aquela sensação de abandono que a gente via ao abrir a janela de casa”, disse ela, ao lado da filha, Eloá Vitória.

PUBLICIDADE