Governador autoriza início de obras da Penitenciária Estadual de Vila Velha 6

Cerca de 300 empregos devem ser gerados durante a execução das obras da penitenciária

0
34
Com investimento de R$ 57 milhões, o novo presídio conta com 800 vagas físicas

O governador Renato Casagrande autorizou, nesta sexta-feira 13, o início das obras de construção da Penitenciária Estadual de Vila Velha VI (PEVV6), no Complexo de Xuri. Com investimento de R$ 57 milhões, o novo presídio conta com 800 vagas físicas, distribuídas nas galerias, além de instalações de triagem e isolamento. Cerca de 300 empregos devem ser gerados durante a execução das obras da penitenciária, que têm prazo para conclusão de 12 meses.

Tenho um sonho que é não precisar mais construir unidades prisionais. Até a gente chegar ao governo tínhamos o acréscimo de mais de mil pessoas entrando no sistema a cada ano. Em parceria com outras instituições, conseguimos estabilizar a entrada, que já é uma grande vitória. Em nosso primeiro governo entregamos o sistema prisional com 15 mil custodiados e nos últimos anos não foi aberta nenhuma vaga e o sistema foi inflando. Agora estamos dando essa ordem de serviço para que possamos aumentar o número de vagas e ter menos pressão sobre o sistema prisional”, afirmou o governador.

Casagrande pontuou que a meta é que as pessoas não precisem dar entrada no sistema prisional, por isso o Estado também investe pesado na educação e na geração de oportunidades. “Contudo, quem comete crime no Espírito Santo precisa saber que nossas forças de segurança vão agir para tirar das ruas quem não tem condições de viver em sociedade”, ponderou. As obras integram o planejamento da Secretaria da Justiça (Sejus), que prevê o investimento de R$ 155 milhões até 2022 em obras e equipamentos voltados ao sistema prisional capixaba.

A construção da nova unidade prisional do Complexo de Xuri prevê a contratação de mão de obra direta de até 300 profissionais da construção civil e a contratação de 80 presos do regime semiaberto, com convênio firmado entre a empresa executora e a Sejus. Além disso, com a execução das obras, estima-se a participação de até 400 profissionais em serviços indiretos, com a contratação comercial voltada para diversas áreas, tais como materiais de construção, concreto, pavimento, restaurantes, locação de equipamentos diversos, materiais elétricos e hidráulicos, serviços de terraplanagem, entre outros.

PUBLICIDADE