Erick Musso pede exoneração da diretoria da Cesan

O parlamentar acredita que os diretores da companhia, que deixou mais de 200 bairros sem água nos últimos dias, não estão tendo capacidade gerencial para evitar os constantes desabastecimentos

0
140
Em discurso no plenário da sessão desta segunda, o presidente da Ales ainda defendeu a suspensão do passaporte vacinal

Por Dani Sanz
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Erick Musso, assumiu a tribuna do plenário Dirceu Cardoso nesta segunda-feira 07 para cobrar do governador Renato Casagrande a exoneração da atual diretoria da Cesan, pelos constantes desabastecimentos de água na Grande Vitória.

O parlamentar acredita que os diretores da companhia, que deixou mais de 200 bairros sem água nos últimos dias, não estão tendo capacidade gerencial para evitar os constantes desabastecimentos, principalmente nas regiões mais carentes.

Mais de 200 bairros ficaram de torneira seca. De que adianta a Cesan ter R$ 2 bilhões, se não há competência administrativa e gerencial. Nós estamos colhendo pela decisão de politizar a Cesan”, disse.

E pediu a exoneração da diretoria da Cesan e do diretor-presidente em exercício, Weydson Ferreira. “Precisamos de medidas eficientes, eficazes e de planejamento. Precisamos respeitar os capixabas”, falou.

Passaporte sanitário
Na mesma sessão, o presidente ainda discursou sobre a suspensão do passaporte sanitário. Na última sexta-feira 04, Musso criou uma Comissão Especial para analisar o congelamento do IPVA e a suspensão da cobrança do passaporte vacinal.

Eu tomei as três doses da vacina, mas respeito quem não quer tomar. Mas estamos falando da incoerência da decisão do governador Casagrande. Para entrar em um restaurante é preciso apresentar o passaporte, que não garante que a pessoa não esteja contaminada, mas ao andar de ônibus não tem que apresentar o passaporte”, dirigindo-se ao governador pedindo equilíbrio e coerência nas decisões.

Comissão Especial
A Comissão Especial que irá analisar a constitucionalidade, juridicidade, legalidade e o mérito da proposta que determina é formada pelos deputados Adilson Espíndula (membro efetivo da Comissão de Finanças), Doutor Hércules (membro efetivo da Comissão de Saúde) e Fabrício Gandini (membro efetivo da Comissão de Justiça). A Comissão Especial, de acordo com o artigo 57, inciso II e o artigo 58, parágrafo único, do Regimento Interno da Assembleia Legislativa, é instalada para emitir pareceres sobre proposições de relevante interesse público, para efeito de posterior discussão e votação do plenário.

PUBLICIDADE