Deputados debatem situação do saneamento na Serra

Entre os principais questionamentos, queixas de demora no atendimento prestado pela empresa para a resolução dos casos de entupimento da rede de esgoto

0
22
Presidente da Ambiental Serra, Justino Brunelli (detalhe) falou sobre metas do contrato de PPP. Foto: Kebim Tamanini

Por João Caetano Vargas

Representantes da Cesan e da empresa Ambiental Serra participaram da reunião virtual da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, para prestar esclarecimentos sobre o sistema de saneamento estadual, destacando as ações executadas e planejadas para o município de Serra. Entre os principais questionamentos, queixas de demora no atendimento prestado pela empresa para a resolução dos casos de entupimento da rede de esgoto.

A gestão do esgotamento sanitário do município é feita por meio de uma parceria público privada (PPP) entre a Cesan e a Ambiental Serra. O presidente da empresa, Justino Brunelli, falou sobre a questão dos transbordamentos: “Hoje, a gente realiza aproximadamente 2 mil desobstruções na rede de esgoto por mês. A grande maioria dos casos são causados, infelizmente, pelo descarte de lixo e a gordura. O óleo de cozinha, quando é descartado na tubulação, vira uma pedra dentro da rede. Então ele deixa de ser aquela coisa oleosa e passa a ser um objeto sólido que de fato entope a tubulação”.

Brunelli explicou que “a principal meta do contrato é atingir 95% de cobertura de esgoto até 2023, ou seja, disponibilizar rede para coleta do esgoto. Hoje, Serra já tem quase 90% de rede disponível. Isso não significa esgoto tratado, tem uma segunda etapa que é a adesão dos imóveis à rede de esgoto. Nós temos mil quilômetros de esgoto em Serra e faltam 200 quilômetros para terminar essa universalização”.

O deputado Fabrício Gandini questionou a Cesan sobre a responsabilidade da cobertura na região de Eurico Salles. “Eu queria saber da Cesan qual é a decisão. Vai ser colocado na concessão que vocês fizeram na Serra ou a Cesan vai assumir e fazer o investimento que é necessário?”, questionou o deputado.

O gerente da Unidade Gestora de PPP da Cesan, Douglas Oliveira Couzi, explicou que a Serra Ambiental vai assumir a concessão. “Os seis bairros, que é o chamado Sistema Eurico Salles, ficaram de fora da concessão e a Cesan, após aprovação do Tribunal de Contas, firmou o termo aditivo que autoriza passar esses seis bairros para a Serra Ambiental”, esclareceu.

PUBLICIDADE