Capixaba no Bragantino

0
32
O atacante Renan. Foto: Divulgação

Depois do zagueiro capixaba Natan, do Flamengo, mais um jogador do Espírito Santo vai para o Red Bull Bragantino, de São Paulo. Trata-se do atacante Renan, do Estrela, de 17 anos. Ele participou do elenco estrelense no Capixabão deste ano, e depois da competição foi levado para o clube paulista. Renan foi revelado na escolinha da Basiléia, famosa em Cachoeiro, pelas vitoriosas participações na Copa Gazetinha, e por revelar talentos para o futebol do sul do Estado.

Vagas divididas

A Federação de Futebol informa à Coluna que as duas vagas dos representantes capixabas na Copa do Brasil de 2002 serão divididas. Uma vai para o campeão do Capixabão deste ano e a outra para o campeão da Copa Espírito Santo. Os dois clubes receberão pela participação na primeira fase, uma verba da CBF no valor de R$ 560 mil. Essa decisão foi tomada, segundo o presidente da FES, Gustavo Vieira, para valorizar a Copa ES, que será realizada a partir de setembro. Neste ano, os dois representantes foram o campeão e o vice do Capixabão 2020, já que a Copa ES não foi realizada no ano passado, devido à pandemia.

Seleção do Capixabão

O Campeonato Capixaba termina hoje 23, com o jogo entre Rio Branco de Venda Nova e Real Noroeste, mas a Coluna já antecipa a sua seleção, com os melhores jogadores da temporada: Waldson (Real Noroeste); Douglas (Rio Branco-VN), Correia (Real), Wesley (Rio Branco-VN) e Artur (Rio Branco-AC); Tiago Ramos (Vitória), Paulinho (Rio Branco-AC) e Aloísio (Real); Gustavo Tonoli (Rio Branco-VN), Edinho (Vitória) e Wiliam Bersan (Estrela).

Rio Branco estreia

O time do Rio Branco, depois de eliminado das finais do Capixabão, vai estrear no mata-mata da pré-Série D do Campeonato Brasileiro, na quarta-feira 26. O primeiro jogo acontece no Mato Grosso do Sul, contra o Aquidauanense, e a segunda e decisiva partida será disputada no domingo 30, no Estádio Kleber Andrade. Para estes confrontos, a diretoria contratou quase um time inteiro de reforços, enquanto dispensou oito jogadores. Se passar pelo adversário, o Rio Branco entra na fase de grupos, ao lado do Rio Branco de Venda Nova, e vai enfrentar Ferroviária-SP, Patrocinense, Uberlândia, Caldense e Boa Esporte, de Minas Gerais; e Águia Negra, do Mato Grosso.

Dívidas e dúvidas

A Diretoria da Desportiva ainda não decidiu se o time vai disputar a Copa Espírito Santo, em setembro. Os integrantes do Departamento de Futebol acham importante a participação, mas os diretores administrativos e financeiros não sabem se o clube terá condição e estrutura para isso. Para piorar, nos últimos dias a Desportiva descobriu que teve a sua conta bancária bloqueada, por causa de uma ação trabalhista, e não pôde ainda nem quitar o salário do elenco que disputou o Capixabão.

Escolinhas paraolímpicas

Foto: Divulgação

O Projeto de Natação Paralímpica do Clube Alvares Cabral já está a todo vapor, e é realizado em parceria com a Associação Latina de Desenvolvimento Esportivo, Cultural e Ambiental (Aldeea) e com a Associação Capixaba Paralímpica de Desportos (ACPD). O Projeto atende cerca de 70 alunos e conta com uma equipe de professores e estagiários. Também o Projeto de Bocha Paralímpica (foto) iniciou os atendimentos presenciais, com dez alunos de Serra, Cariacica e Vitoria. O projeto tem a capacidade inicial de atender até 50 alunos, e o clube aguarda por novos alunos.

Base da Desportiva

Foto: Divulgação

A foto de hoje relembra alguns jogadores revelados pelas categorias de base da Desportiva Ferroviária, na década de 70. Quase todos eles chegaram ao time profissional e até saíram para brilhar fora do Estado e do País. De pé, da esquerda para a direita, estão Samuel Batista, Lucinho, Rubérico e Hilvano; agachados, Carlos Henrique, Marcos Nunes e Paulistinha.

PUBLICIDADE