Áreas de restinga em Camburi compõe mosaicos a céu aberto

Concepção do projeto valoriza a paisagem de Camburi, que é um dos principais cartões-postais de Vitória

0
29
Foto: André Sobral

Por Edlamara Conti

A nova área de restinga na praia de Camburi, que está sendo cercada, é composta por vários mosaicos (canteiros de arranjos florísticos) formados por diferentes espécies nativas, incluindo flores e árvores frutíferas, para garantir autenticidade, diversidade, beleza e vida longa ao ecossistema da praia.

A técnica do mosaico para reintrodução da restinga é inédita no Brasil e foi desenvolvida por técnicos da secretaria municipal de Meio Ambiente. No trecho entre o píer de Iemanjá e a avenida Adalberto Simão Nader já foram montados 200 mosaicos, de 28 composições (modelos) diferentes, representando o plantio de 1.300 mudas herbácias, arbustivas e arbóreas, além de milhares de ipomeias (vegetação rasteira) e a reintrodução de cerca de 40 espécies que haviam desaparecido da orla.

Esse trecho compreende a primeira fase do projeto de recuperação e cercamento da restinga, prevista para ser concluída até o final deste mês. “As mudas, agora, só precisam de irrigação e cuidados para crescerem. As pessoas já estão percebendo a beleza da restinga, que ficará mais bonita com o tempo”, explica o engenheiro agrônomo Fernando Pratti, idealizador dos mosaicos e coordenador do projeto.

A técnica do mosaico diferencia-se por evitar que plantas mais vigorosas cresçam e abafem outras espécies, acabem por ocupar toda a área e obstruam a vista para o mar. “A concepção do projeto valoriza a paisagem de Camburi, que é um dos principais cartões-postais de Vitória. As equipes da secretaria levaram em conta vários anos de experiências urbanísticas e ambientais para a criação desse projeto”, disse o secretário de Meio Ambiente de Vitória, Tarcísio Föeger. Em toda a orla serão plantadas cerca de 25 mil mudas, além das ipomeias. A mesma técnica será usada em outras áreas de restinga de Vitória.

Aterros e singularidades

Segundo o engenheiro, os mosaicos foram criados de acordo com as características singulares de cada trecho da praia. Há espaços em que o solo é mais fraco, outros em que o vento é mais forte e ainda tem as diferentes temperaturas da areia e fatores como a proximidade com o calçadão.

O estudo descartou espécies de arbustos mais altos e fechados, que podem obstruir a iluminação ou passar a sensação de insegurança para os frequentadores da praia. Além disso, a areia de Camburi é originária de aterros, praticamente sem nutrientes, e atinge altas temperaturas, causando a desidratação e a morte das mudas.

Diante desse desafio, o Viveiro Municipal Reverendo Jaime Wright se dedicou à produção de espécies mais resistentes e o projeto dos mosaicos adotou cobertura de serrapilheira, obtida com a trituração de material originário das podas realizadas na cidade. “A serrapilheira possibilita a irrigação regular, protege a umidade e a temperatura do solo e ainda atua como adubação”, explica Pratti. Com esses cuidados, a pega das mudas plantadas tem alcançado quase 100%, um índice recorde também.

Cercamento

O cercamento das áreas de restinga na praia de Camburi está sendo realizado pela Prefeitura de Vitória em parceria com a Vale. Coube à secretaria de Meio Ambiente a concepção do projeto, o planejamento e a coordenação dos plantios, sendo de responsabilidade da empresa a coordenação da equipe de campo e o custeio da operação.

PUBLICIDADE